O Jejum Cristão e a Bíblia


E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto,

Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. Mateus 6:16-18

Por: Patrick Duarte

Algumas pessoas tem dúvidas sobre a prática do jejum e hoje estaremos falando um pouco acerca do assunto.

Segundo o dicionário Michaelis jejum é: Abstinência ou redução de alimentos em certos dias por penitência ou por preceito eclesiástico. Abstenção, privação.

O jejum é uma prática comum entre as religiões que a usam como forma de louvar seus respectivos deuses.

No nosso caso, como cristãos, o jejum tem certas características para sua efetivação. Muitas pessoas tem uma visão errada sobre o jejum, achando a prática um peso e fazendo somente quando a algum motivo em especial, por exemplo determinação do líder da mocidade. No final das contas, se esquecem do verdadeiro sentido e simplesmente acabam passando fome.

Por muitas vezes, me questionaram se o jejum era somente a abstinência dos alimentos? A resposta é Não! Certa vez, fazendo o estudo sobre a vontade de Deus me deparei com o texto de Isaías 58 que fala justamente sobre o verdadeiro jejum.

Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo?

Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Isaías 58:6-7

O texto acima ensina que o verdadeiro jejum é abster-se – por certo período – de coisas materiais (nossa vontade), ou seja, o propósito do jejum é se desviar de tudo que lhe roube atenção e redirecionar sua mente a Deus. Claro que em alguns momentos de sua vida é complicado retirar algumas coisas da nossa mente, como por exemplo nosso local de trabalho. Mas isso não impede de que o jejum possa ser realizado e efetivo para nossa vida espiritual. Nas escrituras o jejum está quase sempre relacionado à comida, mas há outras maneiras de realizar o jejum. Como dito acima, tudo que pode ser tirado de sua vida – temporariamente – para que sua concentração foque em Deus pode ser considerado jejum.

Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;

Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.

O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido.

A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.

Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência. 1 Coríntios 7:1-5

O jejum é a maneira de nos aproximarmos do Senhor, deve ser usado todo o nosso ser, corpo e mente voltados para Deus. Não é algo feito para conseguir algo de volta, é feito para sermos renovados espiritualmente e ter um relacionamento mais profundo com Deus.

jejum e orac3a7c3a3o - O Jejum Cristão e a Bíblia

O jejum não deve ser feito de qualquer modo e para qualquer coisa, ele é feito de coração, e apresenta os objetivos de:

Honrar a Deus > Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. Mateus 6:18

Humilhar-se perante a vontade de Deus > Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, as minhas vestes eram o saco; humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio. Salmos 35:13

Preparação para batalhas espirituais > Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum. Mateus 17:21

Era comum o jejum ser feito de forma normal, ou seja, com a retirada de qualquer alimento sólido ou líquido, exceto pelo água. Quando Jesus fez o jejum de quarenta dias a citação refere-se a “fome”. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; Mateus 4:2.

Mas em alguns caso o jejum era total, inclusive a retirada da água.

Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas servas também assim jejuaremos. E assim irei ter com o rei, ainda que não seja segundo a lei; e se perecer, pereci. Ester 4:16

O jejum pode ser feito de maneira isolada ou em multidões. Um exemplo que podemos encontrar de um jejum coletivo se encontra em Esdras 8:21-23.

Então apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos diante da face de nosso Deus, para lhe pedirmos caminho seguro para nós, para nossos filhos e para todos os nossos bens.

Porque tive vergonha de pedir ao rei, exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo pelo caminho; porquanto tínhamos falado ao rei, dizendo: A mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas o seu poder e a sua ira contra todos os que o deixam.

Nós, pois, jejuamos, e pedimos isto ao nosso Deus, e moveu-se pelas nossas orações.

O jejum não anda só, ele sempre está acompanhado da oração. Sem ela seu jejum seria em vão. E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia. Lucas 2:37

A leitura da palavra deve fazer parte de sua vida – em todo o tempo e não somente no jejum – e através dela terá diretrizes para viver uma vida santificada aos olhos do Senhor.

Exceto alguns casos, o jejum é feito de maneira “secreta” afim de evitar falatórios, orgulho e hipocrisia. O jejum não é para nos exaltarmos perante os outros e sim pra exaltar o nome de Deus perante os homens. “Os que se humilham serão exaltados”.

E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.

O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: O Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.

Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.

O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: O Deus, tem misericórdia de mim, pecador!

Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. Lucas 18:9-14

Lembre-se: o jejum não é para punir a carne e sim para nos concentrarmos em Deus!

Veja Também  Livro “Keep Calm e Tenha Fé” de André Valadão tem edição limitada

Um comentário

Deixe uma resposta