Bancada evangélica ameaça venda de bebidas alcoólicas durante a Copa do Mundo de 2014


copa 2014 brasil1 - Bancada evangélica ameaça venda de bebidas alcoólicas durante a Copa do Mundo de 2014

A Fifa vem exigindo a liberação da venda de bebida alcoólica nos estádios durante a Copa do Mundo de 2014. A
entidade estaria conseguindo modificar a legislação brasileira atual, através do recurso de criar uma “Lei Geral da
Copa”, que atenderia aos interesses da entidade. A venda de álcool nos estádios hoje é proibida pelo Estatuto do
Torcedor.

Segundo o jornalista Ilimar Franco, do jornal O Globo, há um movimento da bancada evangélica para derrubar a
proposta no plenário da Câmara Federal. O Ministério Público, que vinha tentando barrar na Justiça esta liberação
ganhou o apoio dos deputados religiosos. Eles são contrários, alegando que, para os patrocinadores, basta a publicidade nos jogos.

A votação da Lei Geral da Copa foi mais uma vez adiada, pois seu relator, o deputado Vicente Cândido (PT/SP) teria
sido surpreendido numa reunião por um representante da Casa Civil, que afirmou: “o governo não tem nenhum
compromisso com a FIFA para a liberação das bebidas alcoólicas”.

O governo teria recuado após um movimento de evangélicos como Anthony Garotinho (PR/RJ) que juntamente com outros 80 deputados fecharam questão contra a liberação da venda de bebidas durante os jogos da Copa. A bancada católica militante, liderada pelo deputado Eros Biondini (PTB/MG) tomou a mesma posição. Após fazer as contas, o governo constatou que a derrota seria inevitável.

A FIFA acredita que a imagem de torcedores bebendo nos estádios é uma publicidade estratégica para a indústria de
bebidas, parceira da entidade nas competições pelo mundo, principalmente na Europa. Os deputados contrários à liberalização das bebidas alegam que a permissão pode aumentar casos de violência nas  arenas. Sem um dispositivo que regule a venda de bebidas alcoólicas, a FIFA teria que negociar com cada um dos Estados para conseguir autorização para comercializar os produtos. O impasse em torno da lei ocorre na véspera de encontro entre a presidente Dilma Rousseff e Joseph Blatter, presidente da Fifa, num momento conturbado nas relações entre o país e a entidade, por conta das críticas que o país vem recebendo.

Possivelmente, deverá surgir a proposta de uma legislação que libere a venda de bebida alcoólica, mas os torcedores
só poderão consumir em locais específicos das arenas.

Fonte: Gospel Prime

Opinião do Pensador: Indiferente de ser evangélico ou não, a liberação da venda de bebidas alcoólicas, além de mostrar a fraqueza do nosso País em aceitar que eventos possam mudar ou alterar a legislação vigente, pode acarretar em maiores índices de violência entre torcedores. Grande parte dos que se dizem “torcedores” são agressivos por natureza e não respeitam o próximo, imagina se haverá respeito com os que virão de fora do nosso País. Infelizmente muitos não sabem beber e acabam passando dos limites. Uma coisa é certa: se a venda de bebida dentro do estádio for liberada, que se preparem os hospitais, o IML, reforcem a força policial e os consulados que preparem para ter que procurar por desaparecidos. Brasil é um ótimo País, pena que nem todos os brasileiros sejam também.

Veja Também  Três Razões pelas quais Cristo Sofreu e Morreu

Deixe uma resposta