A vida do Cristão: Um espelho da guerra de Israel contra Amaleque

Por: Patrick Duarte

O quanto Deus têm cuidado de nós? O quanto nós temos cuidado de guardar a Lei de Deus? Sabemos que a relação homem x Deus foi afetada após a queda de Adão no éden e que desde então somos pecadores, mas nunca fomos abandonados ou esquecidos por Deus. Nesse post, queremos através de uma bela passagem expor o cuidado de Deus e como nós devemos em todo o tempo render graças e adoração ao único Senhor.

moisc3a9s arao hur - A vida do Cristão: Um espelho da guerra de Israel contra Amaleque

Texto de Referência:  Êxodo 17:8-16

Nessa passagem, temos a narrativa do ataque feroz dos Amalequitas contra o povo de Israel, que graças a presença de Deus, os israelitas foram vitoriosos.

Nessa passagem temos três figuras importantes a destacar:

– Amaleque (Amalequitas);

– Israel;

– Moisés.

O povo de Israel já estava livre, fora do Egito, mas ainda assim precisavam ser constantemente lembrados da Presença de Deus. Moisés como líder tinha que primordialmente cuidar e interceder por aquele povo. A cada período o povo começava a blasfemar e questionar os motivos de Deus, então Moisés constantemente corrigia-os e os advertia sobre a Leis de Deus.

Na luta contra Amaleque, a atitude de Moisés foi fundamental para a vitória. Com os braços erguidos, Israel mantinha vantagem e vencia a guerra, no entanto quando Moisés cansava e abaixava os braços, os Amalequitas atacavam Israel, invertendo a vantagem.

AMALEQUITAS

Os amalequitas eram descendentes de Esaú, considerados um povo nômade e guerreiro. Eram residentes da península de Sinai e desde os tempos de Moisés eram considerados os opressores de Israel, até sua derrota por Saul e Davi. Eles não possuíam nenhum temor por Deus, vivendo uma vida regrada ao pecado e desobediência.

Mesmo esse povo ter sido destruído há muito tempo, atualmente podemos considerar que esses “amalequitas” são os que escarnecem de Deus e os que perseguem todo aquele que declara Jesus como salvador. São, da mesma forma, os opressores do povo de Deus; e tornando isso para o lado espiritual da vida cristã, é a representação de Satanás.

ISRAEL

Israel vem do hebraico “Aquele que luta com Deus” e é o povo escolhido por Deus. Yahweh sempre cuidou de seu povo, desde a promessa a Abraão e até mesmo após a conquista da promessa. Israel sempre teve altos e baixos em sua relação com Deus, mas Ele sempre atuava com a finalidade de trazer de volta o seu povo. Atualmente, esse povo pode ser considerado a igreja de Deus. Nós, que declaramos Jesus Cristo como Salvador, somos o povo de Deus.

Na narrativa de Êxodo (texto de referência) temos uma bela analogia com a vida do Cristão de hoje. Diferente dos tempos antigos, em que as lutas eram com espadas, escudos, peças feitas de material como ferro ou bronze, hoje possuímos uma armadura espiritual que nos reveste da cabeça aos pés para o combate. Efésios 6: 10-20.

Então, contra quem é a nossa luta?

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Efésios 6:12.

MOISÉS

Seguindo a linha de raciocínio da narrativa, Moisés representa a atitude de total dependência que devemos ter de Deus. Dentro do texto, quando os amalequitas atacam Israel, Moisés sobe ao monte e mantem suas mãos erguidas, que representava a vitória de Israel. Essa atitude de manter as mãos para o alto demonstram que, enquanto estivermos exaltando e adorando ao Criador, não existirá inimigo que possa prevalecer contra nós.

Na contra mão disso, quando Moisés se cansava e abaixava as mãos, os amalequitas conseguiam atacar os israelitas e vencer a luta. Observando isso podemos entender que, ao abaixar as mãos, o povo perde, mostrando que a dependência de Deus é essencial na vida do cristão. Quando Moisés estava cansado, ele usou uma rocha para sentar e aliviar o cansaço. Deus é tão bom que, quando estamos exaustos, Ele vem como uma rocha para nos dar um alivio, um momento de descanso. Percebam que, apesar de estar sentado, as mãos de Moisés continuavam erguidas. Mesmo exaustos, não devemos desanimar, pois Deus estará conosco e nos sustentará, para que possamos prosseguir e alcançar o alvo da Vontade de Deus.

Em última, e não menos importante, temos a ajuda de Arão e Hur que permaneceram ao lado de Moisés, sustentando as mãos do líder para a vitória do povo. Essa atitude de Arão e Hur representa a unidade de Cristo; é uma clara analogia a igreja orando e lutando JUNTO, lado a lado, um sustentando o outro. 

Nem sempre eu estarei bem, mas o irmão ao lado estará e terá forças para me ajudar. No dia seguinte essa situação pode reverter-se e eu ajudarei ao meu irmão em Cristo. A comunhão é a força da igreja de Deus, no qual sem ela, não podemos avançar.

Na Igreja de Deus não existe “EU”, e sim, “NÓS”.

Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. Romanos 12:5.

Veja Também  Ressurreição (Risen) - Por trás das câmeras: Conhecendo mais sobre o filme de Cristo

Patrick Duarte

Patrick Duarte, CEO do Blog Pensamento Livre. Jornalista (MTB 0082370/SP). Adorador e escritor. Músico e Professor na Escola Bíblica Dominical (AD – Taboão). Piadista nas horas vagas. Acima de tudo, Servo do Deus!!!

Um comentário em “A vida do Cristão: Um espelho da guerra de Israel contra Amaleque

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: