Como manter o Caráter Cristão em uma cultura Secular


Como nos relacionar com o meio secular e manter o nosso caráter cristão?

Apesar de vivermos tão focados no nosso dia a dia, em nossos empregos, estudos, família e igreja, acabamos nos esquecendo que o mundo é grande e cada pedaço dessa Terra possui, por influência do tempo ou não, sua cultura especifica. Não importa onde o evangelho tenha alcançado, ele sempre terá uma forte influência da cultura regional. Um exemplo bíblico disso se encontra na passagem do livro de Daniel em seu capitulo um, e algumas dessas passagens usaremos como apoio para esse artigo. Para seu acompanhamento, a passagem segue dos versículos  1 ao 8.

Nessa referência somos apresentados a quatro personagens principais, que são: Daniel (Beltessazar), Hananias (Sadraque), Misael (Mesaque) e Azarias (Abede-Nego). Eles foram uns dos muitos levados por ordem do rei da babilônia, Nabucodonosor, como prisioneiros.

A pedido do rei, eram levados apenas jovens da linhagem real, formosos de aparência, sem defeito algum, instruídos em sabedoria, habilidosos, para que vivessem no palácio do rei, com um único objetivo: aprender as letras e as línguas dos caldeus. A babilônia era um reino de intensa adoração e entrega de sacrifícios a deuses pagãos. Quando Daniel e os outros foram colocados nesse meio, eles receberam um grande impacto cultural daquela sociedade, a qual não estava acostumados. Eles, que eram de uma geração de pureza, foram impostos a um sistema de cultura que ia contra tudo aquilo que eles seguiam.

Historicamente, a cultura se desenvolve e evolui, traçando novos meios e rumos. Algumas coisas são mantidas como a base e não se alteram, mesmo com o passar dos anos.

Sabendo disso e entendendo o poder que uma cultura pode ter sobre as vidas, qual a relação do caráter Cristão com a Cultura de seu tempo?

Veja Também  Em Defesa de Cristo | Livro do filme é relançado pela Editora Vida

caracterologia cristã 150x150 - Como manter o Caráter Cristão em uma cultura Secular

Os termos relacionados a caráter, são usados comumente para as seguintes formas:

“Uma pessoa conhecida como “sem caráter” ou “mau caráter”, geralmente é qualificada como desonesta, pois não apresenta firmeza de princípios ou de moral. Por outro lado, uma pessoa “de caráter” é alguém com formação moral sólida e incontestável. ”

Podemos então, associar que, dentro da cultura regional temos o caráter de senso comum, que abrange os aspectos mais essenciais do bem estar comum da sociedade. Analisando pelo fator especifico, também temos o caráter cristão, que abrange os aspectos da doutrina de Deus e suas aplicações para todos aqueles que aceitam Cristo e seguem como membros dessas nova comunidade.

Então, como ter e manter um caráter cristão vivendo em uma cultura pagã?

1 – Conhecimento da Palavra

Daniel, Hananias, Misael e Azarias era conhecedores da Palavra de Deus, tendo em vista que eles vieram do povo judeu. Esse conhecimento, aliado à sua percepção da cultura em que foram inseridos, os permitiu distinguir o que seria bom para seu uso e o que seria improprio para o mesmo. O conhecimento da Palavra de Deus permite, e nos da liberdade, de analisar tudo e todas as situações e ações que podem ou não ser aceitas por Deus. Identificar na cultura o que pode ou não ser impuro deve ser um resultado automático de um cristão conhecedor da Palavra.

“Jesus dizia pois aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na Minha palavra, verdadeiramente sereis Meus discípulos. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:31-32

2 – Santificação

Ao crermos em Cristo, somos agraciados pela habitação do Espirito Santo em nós (Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 1 Coríntios 3:16), e com isso temos a responsabilidade espiritual de purificar o templo e morada do Senhor. A Santificação parte do pressuposto de que “somos separados”, ou seja, implica na ausência, abstinência e recusa de certas ofertas ou desejos. Ser separado não é apenas se dizer cristão, mas sim se colocar como um diferencial em uma cultura existente.

Veja Também  Deserto é lugar de intimidade com Deus!

Daniel, ao perceber que toda a cultura de Babilônia era focada em ofertas (oferendas) a outros deuses, logo acordou em seu coração de não se contaminar naquele local. Para se manter puro e separado, pediu para o chefe dos eunucos o alimentasse apenas com legumes e água. Sua fidelidade e busca por manter sua pureza cultural cristã o fez achar graças aos olhos de Deus que, por Sua vez, o abençoou, permitindo que o eunuco fosse convencido pela dieta de Daniel (v.9)

Ser um diferencial no mundo secular quando se é Cristão sempre terá o peso de perseguição, apontamentos e rótulos. Embora hoje em dia, devido a modernidade dos novos “ídolos gospel“, essa pressão do rótulo ficou mais suave, já que para esses novos cristãos “tudo pode” e que a liberdade de Criso é maior que tudo isso. É claro que concordo que a liberdade em Cristo é muito mais abrangente do que nos foi ensinado, mas se esquecem que essa liberdade na verdade é para o outro e nunca para nós. Resumindo: Se para meu irmão o comer a carne é pecado, por qual motivo eu irei faze-lo?

Relacionar-se com o meio secular e manter sua integridade cristã é uma das missões que todo cristão terá de enfrentar. Que a nossa integridade possa sempre, e acima de tudo, ser fidelizada em Cristo Jesus.

Deixe uma resposta